Cada vez se fala menos de cartas, dá-se menos uso às caixas de correio, porque o mundo digital está a deixar de lado grande parte do mundo físico. Esta realidade é agravada pela publicidade, uma vez que cada vez menos se recorre à publicidade na “caixa de correio”.

Patrick Donahoe, Director Geral de Correios e Serviço Postal dos EUA, afirmou que existem quatro desafios que permitem atingir o sucesso, através de correio físico:

O primeiro passo, para atingir uma campanha eficiente é a personalização. Para isso, sem dúvida, é necessário conhecer o cliente, os seus interesses e gostos, dados que se podem obter com facilidade, através de redes sociais. Assim a publicidade pode ser personalizada, uma vez que a informação que chega à caixa de correio é do interesse do consumidor.

O segundo passo é planear a campanha de modo a que a publicidade incentive o consumidor a realizar determinada ação. Este ponto é um dos mais importantes, por isso é necessário planear bem a estratégia, o que não é uma tarefa muito difícil. A chave para este processo é a velocidade e a facilidade de fazer uma compra. Quanto menos forem os passos, que o consumidor tenha que dar para adquirir o produto, mais probabilidade há de venda.

Quanto mais fácil for o contacto do consumidor com a marca, mais o correio físico irá adquirir valor, o que leva ao próximo passo: a funcionalidade. Não é pelo facto de se optar pelo correio físico, que se vai ter que ficar longe de tecnologia, lembre-se que existem os QR Codes e os SnapTag, que podem facilitar o acesso do utilizador a mais informação na web, através do seu Smartphone ou de outro dispositivo conectado á internet.

Finalmente o enfoque na criatividade. No marketing directo, a parte criativa é uma das áreas mais complexas para se desenvolver, pois um folheto ou um cartaz para a caixa de correio não é mesmo que a criatividade para a internet ou TV. Assim, a recomendação para que a publicidade se destaque na caixa de correio, é muita cor, com um design arrojado que chame a atenção do destinatário.

O correio físico pode ter perdido algum protagonismo… Mas não é um meio inútil. Aproveite-o!