Os orçamentos de marketing das empresas têm sido, nos últimos anos, mais orientados para o canal digital, com destaque para o mobile e social. Assim deverá continuar, mas… a aposta não vai ser apenas no digital!

A associação europeia ELMA (European Letterbox Marketing Association), que agrupa as empresas líderes no sector da distribuição de folhetos publicitários, encomendou um estudo a uma entidade independente (Toluna Group), que inquiriu consumidores em 22 países europeus.

Os objetivos do estudo eram:

– Compreender aperceção dos consumidores face ao folheto publicitário

– Comparar o folheto com outros meios

– Medir o impacto do meio em termos de consumo de publicidade e experiência de compra

A conclusão foi unânime: o folheto publicitário continua a ser um dos meios preferidos para os consumidores saberem mais sobre as ofertas das marcas no retalho. A média europeia, diz que 60% dos consumidores entrevistados preferem o folheto, seguidos pela TV e imprensa. Em Portugal, são 62% dos consumidores que preferem o folheto. A fechar este top 3, está a publicidade online e TV.

 

A perceção do folheto publicitário

O folheto é reconhecido como um importante meio de informação: 50% dos portugueses concordam que é através deste meio que conhecem promoções que de outra forma não conheceriam, bem como 60% dos consumidores nacionais afirma que o folheto já os levou a considerar produtos que antes não teriam considerado.

Não há dúvidas que os folhetos são algo habitual no dia-a-dia dos portugueses: 73% recebe mais do que uma vez por semana e 66% lêem-no também mais do que uma vez por semana!

O folheto também influencia a experiência de compra dos portugueses e é reconhecido como um instrumento de poupança neste momento de crise: 42% dos consumidores responderam que conseguem poupar, através de voucher e cupões que estão integrados nos folhetos.

No universo europeu, mais de metade dos consumidores (55%) afirmam ter uma atitude positiva perante o folheto publicitário. 84% dos inquiridos reconhecem utilizá-lo e 50% costuma guardar os folhetos para futuras ocasiões.

A integração online/offline

A integração entre o off e o online também foi abordada neste estudo: 38% dos portugueses afirmaram que já pesquisaram mais sobre um produto, depois de tê-lo visto num folheto. Em média, 89% dos consumidores europeus, pesquisam online sobre os produtos depois de os ver num folheto, mas fazem-no através de pesquisas diretas nos motores de pesquisa, em vez de utilizarem URL específicos ou QR Codes que venham impressos nos folhetos. Isto representa ainda um desafio para as marcas, na medição da integração online/offline.

Num momento em que a grande aposta do marketing está focada no digital, este estudo da ELMA vem lembrar que os consumidores valorizam o folheto e que as marcas deverão também apostar uma vertente convencional, com especial enfoque para os folhetos publicitários.

Na Europa, existem também cada vez mais outros sectores de negócio, como o financeiro, FMCG, Telecomunicações, Seguros e também o E-commerce que apostam no folheto.