Ainda ontem estavam sentados no sofá de suas casas, prontos para assistir a mais um episódio de Dragon Ball, e hoje estão sentados na secretária do lado. Os millennials, jovens que nasceram nos anos 80 e 90, já chegaram ao mercado de trabalho e os mitos criados à sua volta são mais que muitos. Mas serão estas perceções baseadas em factos reais? É isso que vamos descobrir neste artigo especialmente dedicado à geração dos memes.

Mito #1 Eles têm um pé fora da porta.

A crença generalizada é a de que estes jovens são narcisistas e que querem progredir e encontrar o seu próximo emprego ASAP! É verdade que muitos estão atentos às oportunidades mas isso não é diferente do que acontecia com as gerações anteriores. Um inquérito da Deloitte mostra que 2 em cada 3 millennials espera já estar num novo em emprego em 2020. Esta ambição é a mesma que os norte-americanos na casa dos 20 tinham em 1988.

Mito #2 Eles são narcisistas.

Na realidade esta geração tem uma opinião própria bastante menos favorável que as gerações anteriores. Um estudo recente revelou que 59% das pessoas com idades entre os 18 e os 34 anos descrevem a sua geração como sendo autocentrada, 49% como um desperdício e 43% descreve-a como egoísta. Refira-se ainda que 36% vê-se como trabalhador e 24% como responsável.

E há mais, quase 70% dos millennials dizem que entre as suas prioridades está retribuir à sociedade e ser civicamente ativo e a verdade é que não é só garganta, os investidores desta geração são capazes de investir 2x mais em empresas com impacto social ou ambiental.

Mito #3 Eles são preguiçosos.

Este é talvez o mito mais preponderante. Vamos direto aos factos… um estudo do World Economic Forum investigou os hábitos dos americanos no que diz respeito ao tempo que passam fora do trabalho. Esta pesquisa identificou pessoas que tiram férias limitadas por vários motivos como sentimento de culpa, orgulho ou medo de ser substituído por um “mártir do trabalho” e nesse estudo verificou-se que 43% destes “mártires” são millennials: 24% não usou todos os seus dias de férias. Comparando com outras gerações descobrimos que o mesmo acontece com 19% da geração X e 17% dos baby boomers.

Mito #4 Eles não estão dispostos a trabalhar das 9 às 5.

Conhecidos por terem pouca paciência para o trabalho de secretária, dizem que os millennials querem ser empregados por conta própria e mais…querem apresentar as suas ideias ao Mark Cuban no Shark Tank! De todos os mitos nesta lista este é aquele em que mais acreditamos.
É verdade que em grande parte das listas de desejos dos millennials “começar o meu próprio negócio” é um dos objetivos a longo prazo. Se compararmos com a geração X e com os baby bommers a diferença não é assim tão dramática como se pode pensar: 17% dos millennials em comparação com 12% da geração x e 15% dos baby boomers, de acordo com o IBM Institute for Business Value.

Mito #5 Eles não estão satisfeitos no trabalho sem mesas de ping pong, promoções frequentes, oportunidades de formação e muito mais…

Em Silicon Valley a comida é grátis, os escritórios permitem animais de estimação e as férias podem ser ilimitadas. As empresas estão a tornar-se cada vez mais criativas em relação aos benefícios que dão aos seus colaboradores. Escritórios como o da Google e Zappos são os pioneiros deste tipo de regalias que dão grande relevância à cultura da organização.

Resultado: os amigos começam a publicar os benefícios no Instagram ou no Snapchat e a insatisfação de quem não tem estes benefícios sobe. Difíceis de agradar? Talvez não. Os millennials parecem estar mais satisfeitos com a formação que recebem nos seus locais de trabalho do que o resto da população. Adicionalmente 76% dizem estar contentes com as suas oportunidades de progressão, mais 10% do que as outras gerações.

Fonte: SalesForce